domingo, 26 de fevereiro de 2012

A COBRA GRANDE NO BOI-BUMBÁ DE PARINTINS



ESSA LENDA É  MUITO EXPLORADA E ENCENADA NO BOI-BUMBÁ DE PARINTINS E TEM VÁRIAS VERSÕES NA LITERATURA BRASILEIRA RECEBENDO DIFERENTES  DENOMINAÇÕES DEPENDENDO DA REGIÃO., ELA É CONHECIDA COMO A LENDA DA  COBRA GRANDE, BOIUNA, ANACONDA BOI TATÁ, BOIAÇÚ, SUCURIJÚ E OUTRAS DENOMINAÇÕES.






TEMOS TAMBÉM A HISTÓRIA DA COBRA HONORATA E MARIA CARIRANA, A LENDA DA COBRA ENCANTADA DA BOCA DO LIMÃO (em Parintins), SERPENTE DINAHI.


HÁ QUEM DIGA QUE EXISTE POR BAIXO DA ILHA DE PARINTINS UMA COBRA GIGANTESCA ADORMECIDA E QUE A ILHA SÓ NÃO AFUNDA PORQUE ESTA COBRA DÁ SUSTENTAÇÃO E BASE À MESMA COM A SUA CABEÇA.




AS LENDAS SURGEM NO FESTIVAL EM FORMA DE NARRATIVA, ALEGORIA E MÚSICA. NA DÉCADA DE 90 SURGIU A TOADA "BOI TATÁ" QUE EXPLODIU COM GRANDE SUCESSO NAS RÁDIOS FM DE MANAUS GRAVADA INDEPENDENTEMENTE E TAMBÉM PELO REGIONAL VERMELHO E BRANCO, POIS  O BOI CAPRICHOSO NÃO INCLUIU A TOADA COMO TOADA OFICIAL NO SEU CD, MAS A MÚSICA TEVE TANTA FORÇA QUE FOI UMA DAS MAIS TOCADAS NAS RÁDIOS DE MANAUS POPULARIZANDO A MÚSICA E A LENDA LEVANDO O LEVANTADOR DE TOADAS ARLINDO JÚNIOR A INCLUIR A MESMA COMO TOADA DE SEU REPERTÓRIO NO SEU CD AO VIVO GRAVADO PELA DC SET. 

SEM SOMBRA DE DÚVIDAS, É UMA TOADA COM BASTANTE CONTEÚDO E RETRATA UM SER MUITO TEMIDO PELOS NAVEGADORES, POIS ELA SURGE SEM QUE SE ESPERE, CAUSANDO PAVOR A TODOS. QUEM LER A CRÔNICA DE CARVAJAL E D'ACUNHA ENCONTRARÁ TAIS NARRATIVAS.



DIZEM ALGUNS HISTORIADORES QUE ESSA LENDA FOI INVENTADA PELOS COLONIZADORES PRÁ COLOCAR MEDO NOS NAVEGADORES EVITANDO ASSIM QUE ESSES SAÍSSEM EM EXPEDIÇÕES PARA EXPLORAR OS LUGARES QUE ESTES TINHAM INTERESSE REVELANDO-SE DESTA FORMA UMA ESTRATÉGIA DE DOMINAÇÃO TAMBÉM, CAUSANDO MEDO, HORROR, INSEGURANÇA NAS PESSOAS. VAMOS OUVIR A TOADA:


                                   Boi tatá 
                           (Jorge Miranda) 
Um brilho no rio
em noite escura é fogo fátuo
gênio protetor dos campos e das águas
cobra grande, boiaçú
boiúna, boiúna, sucurijú
a fera que surge do nada

corre no corpo o arrepio
o sangue nas veias fica frio
o fogo que a água não apaga

um facho de luz ilumina a escuridão
seus olhos de fogo incandeiam
tapando furos, singrando rios
a dona da noite à boca da noite
a dona da noite vai chegar

boitatá, boitatá
fogo no ar, fogo no ar
cobra de fogo, boiaçú
boiúna flutua




A LENDA DA COBRA GRANDE, BOIUNA, BOI-TATÁ  ESTÁ PRESENTE EM VÁRIOS ESTADOS BRASILEIROS RICA EM VERSÕES.  TRATA-SE DE UMA COBRA GIGANTESCA QUE SURGE DAS ÁGUAS DESTRUINDO EMBARCAÇÕES, SOLTANDO FOGO. VEJA A LENDA DA BOIÚNA EM 3 D QUE O CAPRICHOSO APRESENTOU EM PROJETO  QUE SE MATERIALIZOU NO BUMBÓDROMO EM 2011. A LETRA DA TOADA ESTÁ LOGO ABAIXO:



BOIÚNA

Composição: Guto Kawakami / Naldo Kawakami / Ligiane Gaspar 


Do submundo das profundezas
velas negras
sudários da escuridão
flutua no bojo sombrio
mastros de ossos cortam os ventos e a névoa
a barca fantasma navega a assombrar

faróis , vitrais enigmáticos , lampejam ao luar
banzeiros naufragam embarcações
a boiúna , o enigma
o mistério da noite virá encantar

Vem no remanso soturno nos aningais
a fera das águas rasteja
seus olhos de fogo encandeiam na escuridão
a dona da noite virá

escamas de sucurijú , fogo no ar
avança sobre os igapós , a devorar
emerge a anaconda boiaçú
a dama das águas

Boiúna ! emerge das águas
Boiúna ! ceifadora de almas
anaconda , cobra grande , boiúna sucurijú


VEJAMOS AGORA A LENDA:


É um Monstro com olhos de fogo, enormes, de dia é quase cego, à noite vê tudo. Diz a lenda que o Boitatá era uma espécie de cobra e foi o único sobrevivente de um grande dilúvio que cobriu a terra. Para escapar ele entrou num buraco e lá ficou no escuro, assim, seus olhos cresceram.


Desde então anda pelos campos em busca de restos de animais. Algumas vezes, assume a forma de uma cobra com os olhos flamejantes do tamanho de sua cabeça e persegue os viajantes noturnos. Às vezes ele é visto como um facho cintilante de fogo correndo de um lado para outro da mata. No Nordeste do Brasil é chamado de "Cumadre Fulôzinha". Para os índios ele é "Mbaê-Tata", ou Coisa de Fogo, e mora no fundo dos rios.

Dizem ainda que ele é o espírito de gente ruim ou almas penadas, e por onde passa, vai tocando fogo nos campos. Outros dizem que ele protege as matas contra incêndios.





A ciência diz que existe um fenômeno chamado Fogo-fátuo, que são os gases inflamáveis que emanam dos pântanos, sepulturas e carcaças de grandes animais mortos, e que visto de longe parecem grandes tochas em movimento. 




Nomes comuns: No Sul; Baitatá, Batatá, Bitatá (São Paulo). No Nordeste; Batatão e Biatatá (Bahia). Entre os índios; Mbaê-Tata. 



Origem Provável: É de origem Indígena. Em 1560, o Padre Anchieta já relatava a presença desse mito. Dizia que entre os índios era a mais temível assombração. Já os negros africanos, também trouxeram o mito de um ser que habitava as águas profundas, e que saía a noite para caçar, seu nome era Biatatá. 



É um mito que sofre grandes modificações conforme a região. Em algumas regiões por exemplo, ele é uma espécie de gênio protetor das florestas contra as queimadas. Já em outras, ele é causador dos incêndios na mata. A versão do dilúvio teve origem no Rio Grande o Sul. 



Uma versão conta que seus olhos cresceram para melhor se adaptar à escuridão da caverna onde ficou preso após o dilúvio, outra versão, conta que ele, procura restos de animais mortos e come apenas seus olhos, absorvendo a luz e o volume dos mesmos, razão pela qual tem os olhos tão grandes e incandescentes.


TRABALHANDO A LENDA EM SALA DE AULA


O MEU OBJETIVO COM ESSE SUBSÍDIO É PROPORCIONAR AO PROFESSOR MATERIAL PARA QUE POSSA TRABALHAR A LENDA EM SALA DE AULA UNINDO TEXTO DA LENDA, LEITURA IDEOGRÁFICA, RELEITURA E A MÚSICA.


NÃO HÁ NECESSIDADE TAMBÉM DE ESPERAR O DIA DO FOLCLORE PARA TRABALHAR A MÚSICA PORQUE A LENDA DESENCADEIA UMA SÉRIE DE QUESTÕES A SEREM DISCUTIDAS DURANTE O ESTUDO DA MESMA, SENDO QUE A LENDA COM CERTEZA PODERÁ SER RETOMADA NAS COMEMORAÇÕES DO FOLCLORE.


             EIXOS A SERES TRABALHADOS:


ESTA PROPOSTA É UMA PROPOSTA MULTIDISCIPLINAR E MULTIFOCAL NÃO ESTANDO LIMITADA A LER A LENDA APENAS NO DIA DO FOLCLORE OU COMENTÁ-LA. NOSSA PROPOSTA É USAR A LENDA COMO RECURSO PEDAGÓGICO ARTICULANDO-A COM AS DEMAIS DISCIPLINAS DE FORMA BASTANTE ABRANGENTE PODENDO SER RETOMADA A QUALQUER MOMENTO DEPENDENDO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA DO GRUPO DE PROFESSORES. 



  • FOLCLORE
  • ANIMAIS PEÇONHENTOS
  • ANIMAIS NÃO PEÇONHENTOS
  • A VACINA TIRADA DO VENENO DE COBRA
  • A COBRA NA BÍBLIA
  • A COBRA NO EGITO
  • INSTITUTO BUTANTÃ (VISITA)
  • INTERPRETAÇÃO DE TEXTO
  • FAZER COBRINHAS DE MASSA DE MODELAR
  • CONSTRUIR UMA COBRA EM EDUCAÇÃO ARTISTICA
  • ANIMAIS RÉPTEIS
  • MEDIDAS, FORMAS DE COBRAS, GEOMETRIA NA MATEMÁTICA
  • CLASSIFICAÇÃO CIENTIFICA DAS COBRAS
  • ENCENAR A LENDA NA SALA DE AULA
  • PARLENDA QUE FALEM DE COBRA
  • CITAÇÕES BÍBLICAS QUE FALEM DA SERPENTE
  • LEITURA SILENCIOSA
  • LEITURA COMPARTILHADA
  • RELEITURA
  • AMPLIAÇÃO DO VOCABULÁRIO
  • CONSTRUÇÃO DE FRASES
  • ORTOGRAFIA
  • GRAMÁTICA
  • MEIO AMBIENTE
  • SIMBOLOGIA DA COBRA 
  • DESENHOR LIVRE
  • LEITURA IDEOGRÁFICA
  • ARTICULAÇÃO COM AS GRANDE NAVEGAÇÕES
  • A HISTÓRIA DE ADÃO, EVA E A SERPENTE
  • PRODUÇÃO DE TEXTO, GRASES E PARÁGRAFOS
  • FORMAÇÃO DE PALAVRAS
  • EXPLORAÇÃO DO VIDEO DAS MAIS VARIADAS FORMAS COM OU SEM SOM., OBSERVAÇÃO DE MOVIMENTO, ESTÉTICA, ÉTICA, TECNOLOGIA
  • FAZER UMA PESQUISA EM CIÊNCIAS
  • O ARTESANATO FEITO COM O COURO DE COBRA COM FOCO PARA O MUNDO DO TRABALHO

OBS. EM SÃO PAULO LÁ PRO LADO DE SANTO AMARO TEMOS A RUA ou AV. MBOI MIRIM., o que nos leva a crer que tal denominação tem origem na expressão Mbaê-tatá. VEJA A BELEZA DE NOSSA HERANÇA INDIGENA AINDA PRESENTE EM UM GRANDE CENTRO NOS SEUS LOGRADOUROS PÚBLICOS.


A EXPLORAÇÃO DO TEMA DEPENDERÁ ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE DA HABILIDADE DO PROFESSOR EM ARTICULAR AS CIÊNCIAS QUE SE INTERPENETRAM E DEPENDENDO DA PROPOSTA DO PLANO DE AÇÃO DA ESCOLA.



  1. O TEMA NÃO SE ESGOTA APENAS COM A QUESTÃO DO FOLCLORE, MAS PODE SER RETOMADO PELO PROFESSOR DE ACORDO COM O SEU CONTEÚDO PROGRAMÁTICO MOSTRANDO O DINAMISMO DA EDUCAÇÃO.

Um comentário: